Eu me orgulho de todas as minhas lembranças ingênuas, mas tenho consciência de que foi a minha fragilidade cansada que me transformou numa pessoa irônica.
Tati Bernardi
Enfim. Cansei de pedir desculpa por quem eu sou. Cansei de ouvir de todo mundo como é que se trabalha, se ama, se permanece, se constrói.
Tati Bernardi
Você precisa disso. Todo mundo precisa. Você precisa pegar uma chuva que vai arruinar teu caminho até o trabalho de vez em quando. Você precisa parar pra rever uma parte que te interessou no filme mais chato que você já viu na vida. De vez em quando você precisa encher o estômago com as comidas e bebidas que você mais odeia entre todas. De vez em sempre você tem que parar pra ler um livro velho, chato, extenso e todo escrito com aquelas palavras que nem o dicionário conhece. Às vezes você tem que dar uma de Aurélio e tentar adivinhar o significado das coisas. De vez em sempre você tem que parar pra ouvir três minutos e vinte segundos de um MPB e parar pra pensar nela. E se não tem ela, inventa. Erra, cara. Às vezes você tem que fazer uma piadinha sexual de qualquer coisa, olhar pra alguém com uma intenção diferente. De vez em quando a gente tem que querer alguém. Reserva dois minutos do teu dia pra olhar pra cima e pensar “cara, como o mundo é grande” e ver que você ainda não fez nada do que tem pra fazer aí fora. Vai brincar de masoquista naquela montanha russa que te espreme e esquarteja o estômago só de olhar. Às vezes você tem que querer ouvir “cara, tô aqui contigo”, tem que ser carente. Não tem graça dar carinho pra quem não tem vontade de fechar os olhos e só sentir. Se contradiz, se vira do avesso. De vez em sempre a gente tem que querer ser mais, ver mais, viver mais. De vez em sempre a gente tem que querer ser por nós e por mais ninguém.
Ana Luísa K.